Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

MMXIII

Feliz Natal e feliz ano novo a todos os leitores. Descansem e continuem lendo.
Nos vemos no ano que vem.
-Fernando e Larissa-

Retrospectiva 2013

Com o ano chegando ao fim, é tempo de refletir e avaliar. Dita a frase clichê, eis nossa lista de dez projetos, concluídos e publicados em 2013, que mais nos chamaram a atenção. Claro, listas são cruéis. Principalmente um top 10. Por conta disso, apresentamos os 10 projetos a seguir sem uma ordem específica de classificação, além, é claro, de já figurarem dentro do recorte.

Binh Thanh House [Vo Trong Nghia e Sanuki + Nishizawa]
Casa em Extremadura [Ábaton]
Casa GCP [Bernardes Arquitetura]
Casa Pico em Lugano [SPBR]
Casa de Fim de Semana em São Paulo [SPBR]
De Rotterdam [OMA]
Garden and House [Ryue Nishizawa]
La Ballena [J1 Arquitectos]
Serpentine Gallery 2013 [Sou Fujimoto]
Vila Aspicuelta [Tacoa Arquitetos]
____________________________________________________________
Os critérios para a escolha foram diversos: implantação, relação com o lugar, materialidade, estrutura, originalidade, etc. Mas o fator preponderante para que essa ínfima gama de edifícios se destaque, em nossa opinião, não é a …

Sobre ocupar o espaço

Medimos o espaço através de nosso corpo. Tal fato, unido a outras variantes (tempo, lugar, etc), desencadeia o olhar rotineiro. Nosso imaginário arquitetônico é formado justamente pela relação que nosso corpo desenvolve com o espaço e tempo em nossa sociedade, sendo importante notar que não basta somente isso para que nosso mundo seja gerado, mas também a vivência em nossa sociedade e todos os agentes envolvidos (como mostra Garry Stevens [1], ao falar sobre o campo da arquitetura como resultado de um emaranhado social, praticamente o Fato Social que descreve Durkheim). Os arquitetos também não estão livres do imaginário ao criar e dividir programas de necessidades: a organização de espaços internos, diz muito sobre aquele que os cria. Cômodos arranjados em uma residência, e suas dimensões, nos permitem realizar uma leitura da sociedade no instante que tal arquitetura foi construída e pensada. Por mais moderno (no sentido de ser representativo de nosso tempo) que um edifício seja con…

É sté TICA

“Toda atitude ética corresponde sempre a uma atitude estética, e toda atitude estética a uma ética”.
Brutalismo: a última trincheira do movimento moderno -Fernando Freitas Fuão-
Aqui.
Foto: Larissa França (Junho de 2013)

"Envelopando" ruínas russas: o Garage Gorky Park [OMA]

Programado para inaugurar no ano que vem, o projeto de requalificação do antigo pavilhão/restaurante Vremena Goda, em Moscou (Rússia), busca transformar o edifício pré-fabricado de 1968 em um prédio multifuncional, com galeria de arte, centro de aprendizado para crianças, lojas, café, auditório e escritórios.



         Próximo ao pavilhão de concreto, existe também um complexo chamado de "Hexágono", seis edifícios voltados a um pátio central, cuja construção remonta a mais de 80 anos. Originalmente, a proposta era de recuperação do Hexágono, porém o estado em que os edifícios se encontram demandam maior cuidado. Dessa maneira, o escritório se arquitetura holandês OMA propôs recuperar o pavilhão Vremena Goda, sem excluir os seis edifícios, que devem ser incorporados à proposta nos próximos anos.

         O nível de degradação do antigo restaurante é impressionantemente belo: apesar do abandono, o edifício ainda guarda sua monumentalidade e bonitas linhas retas, com r…

Salão de Cabeleireiro em Orlândia [SPBR]

Uso misto é quando um lote urbano é ocupado com uma atividade dupla, geralmente comercial e de habitação. Tal programa de necessidades é muito comum em nossos centros urbanos: edifícios em que os próprios lojistas moram, trabalhando no térreo e morando no pavimento superior. A tipologia é secular, e absolutamente banal do ponto de vista arquitetônico. Será?

Antes mesmo de fundar o escritório SPBR, o arquiteto Angelo Bucci já projetava, aqui e alí, edifícios interessantes em sua cidade natal de Orlândia. Obras apoiadas conceitualmente no partido modernista, influenciadas pela talentosa geração de arquitetos brasileiros da segunda metade do século XX (os óbvios Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha, e também influências menos perceptíveis, como Eduardo de Almeida, Rodrigo Lefèvre e Affonso Eduardo Reidy). Passando por momentos de trabalho individual, e em diferentes escritórios e parcerias, Angelo é responsável pelos edifícios mais intrigantes da pequena cidade do norte do estado. U…

Habitar o jardim

Em meio a todas as modas de sustentabilidade que observamos hoje, toda a imagética que a mídia distorce, vemos um fenômeno impressionante acontecendo: os jovens arquitetos, e principalmente estudantes, acham que estão inventando conceitos utilizados na arquitetura moderna a décadas! Brises, ventilação natural, laje jardim... Atenção jovens companheiros: atentem para o projeto a seguir, residência construída em 1979.
____________________________________________
Residência Célio Vieira (1979) [Pitanga do Amparo]

O arquiteto Pitanga do Amparo não foi o primeiro a explorar o conceito de arquitetura como topografia. Uma casa que não pode ser compreendida como um todo de perto, encaixada na terreno (ou criando níveis), com laje inclinada, já foi explorada por arquitetos como Eduardo de Almeida (na Casa Sigrist) e Antonio Carlos Barossi (na Residência Dona Lina). Dito isso, a Residência Célio Vieira não tem seu mérito por ineditismo, mas por desenvolver com sucesso a idéia que propõe, crian…

Uma breve inquietação sobre a caverna (ou: a casa oculta)

A Alegoria da caverna
"Sócrates: Agora imagine a nossa natureza, segundo o grau de  educação que ela recebeu ou não, de acordo com o quadro que vou  fazer. Imagine, pois, homens que vivem em uma morada subterrânea  em forma de caverna. A entrada se abre para a luz em toda a largura  da fachada. Os homens estão no interior desde a infância,  acorrentados pelas pernas e pelo pescoço, de modo que não podem  mudar de lugar nem voltar a cabeça para ver algo que não esteja  diante deles. A luz lhes vem de um fogo que queima por trás deles, ao  longe, no alto. Entre os prisioneiros e o fogo, há um caminho que  sobe. Imagine que esse caminho é cortado por um pequeno muro,  semelhante ao tapume que os exibidores de marionetes dispõem entre  eles e o público, acima do qual manobram as marionetes e  apresentam o espetáculo.
Glauco: Entendo
Sócrates: Então, ao longo desse pequeno muro, imagine homens que  carregam todo o tipo de objetos fabricados, ultrapassando a altura do  muro; estátuas …