Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013

O fenômeno do sucesso e suas sequelas

Por que nós, estudantes e profissionais, desenvolvemos a mania de defender nossos arquitetos preferidos como divindades?
         Incapazes de errar, incapazes de realizar obras que ignorem completamente o entorno, os usos e características básicas de seu lugar. Qual é o grande problema em criticar, no sentido verdadeiro da palavra, obras "consagradas" de arquitetura? Me parece que o público chamado de "leigo", o faz de maneira muito mais tranquila, e por diversas vezes ouvi profissionais de outras áreas "destruindo" criticamente a obra de grandes arquitetos com justificativas muito mais convincentes do que os verbetes repetitivos e manjados escritos em revistas especializadas ou atas de júris.          Por outro lado, até que ponto um indivíduo está apto para criticar uma arquitetura? Em um mundo onde encontrar fotografias, vídeos e desenhos de um projeto pode ser feito em segundos, e onde diariamente recebemos newsletters em nossas caixas de e…

Arquitetura não é Arte

O sucesso de um arquiteto, depende do meio social em que vive? Depende de uma chance? Depende da vontade de querer fazer arquitetura?
         Pode ser do desconhecimento da maioria o fato de o arquiteto não trabalhar sozinho. Arquitetura não é, e não deveria ser, pensada por um único indivíduo. No entanto é mais fácil vender a imagem do gênio: aquele que senta, descansa suas mãos sobre o papel e cria os mais belos edifícios através de seu talento nato.          Essa rixa, divisão profunda que marca nossa profissão, no que diz respeito à centralização de uma figura de um lado, e todos os demais profissionais envolvidos na complexa ação de erigir um edifício de outro, vem da própria definição de nosso campo de atuação no Brasil.          Diferente das outras profissões, a Arquitetura transita entre duas ciências separadas intelectualmente: o campo das exatas e o campo das humanas. O ego acaba por gerar atritos, separando estudantes em dois grupos: aqueles que gostam de matemá…